Conheça o Personagem – Dr. Moacir Nogueira

209x48-doar-laranja-assina

Dr. Moacir Nogueira, 53 anos;
Médico Psiquiatra;
1,70 de altura;
Cabelo grisalho e olhos castanhos;
Um pouco acima do peso e meio careca, meio cabeludo.
(tio do Gabriel Figueiredo)

Nasceu em uma família simples de Martírio, seus pais tinham um pequeno sítio e viviam de cuidar dos animais e da modesta plantação. Vendiam o fruto de seu trabalho com a terra e também da costura que sua mãe fazia. Terceiro filho, sempre foi considerado o mais esperto de seus outros três irmãos. Saía-se muito bem na escola e foi o único a terminar o colegial, e ainda mais, entrar na Universidade de São Paulo.

Estudou e trabalhou como garçom até conseguir se formar e fazer residência na Santa Casa. Nesse meio tempo conheceu Renata, uma jovem loira de olhos verdes pela qual se apaixonou. no mesmo ano de sua formatura, pediu-a em casamento.

Após anos como médico na mesma instituição em que foi residente, destacou-se no meio psiquiátrico desenvolvendo estudos que correlacionavam transtornos de esquizofrenia á perda de sangue. Com o passar do tempo ganhou certa fama entre seus colegas de profissão e também responsabilidades na ala psiquiátrica do hospital.

Sua vida profissional ia muito bem, mas seu casamento sofreu um trauma muito forte com a morte de seu primeiro filho Lucas, de apenas seis meses. Alguns anos depois sua esposa engravidou novamente, agora de Luana. A garota cresceu muito bem mas durante sua adolescência percebeu que o relacionamento de seus pais não era mais o mesmo. Moacir passava muito tempo no trabalho e Renata já havia cansado de reclamar e tornara-se indiferente a ele.

Luana tornou-se um pouco mais rebelde e Moacir sofria calado com o relacionamento infeliz, com os grandes problemas de seus pacientes que pareciam não ter respostas racionais e com as constantes desaprovações de sua jovem filha.

A vida deveria ser melhor que isso! As responsabilidades não deveriam ser tão grandes. As pessoas não deveriam gostar dele pela sua fama ou seu dinheiro. Não deveriam vê-lo apenas como um doutor bem sucedido. Ele percebeu que tudo que lutou para construir, não passava de uma gaiola de ouro.

Ou seja, ele não lidou bem com a crise da meia idade.

Tomou coragem e pediu o divórcio. Deixou seus bens em São Paulo para sua mulher e sua filha e decidiu voltar para sua terra natal, Martírio. Comprou uma casa em um condomínio fechado e não foi difícil conseguir emprego em uma clínica local, que mesmo não pagando tanto quanto o hospital, ainda sim era um dinheiro razoável.

Decidiu que se aposentaria o mais breve possível, e que nunca mais viveria de aparências. Agiria como quisesse, se vestiria como quisesse e mandaria em sua própria vida. Afinal ele era um ser humano livre pra fazer o que quisesse, não importa sua idade ou posição social.

Mas aparentemente, o destino tinha outros planos para ele…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s